Home
Acadêmicos
Disputas Profissionais
Torneios Amadores
História Profissional
Memória Amadora
Álbum
Rádios
Pesquisas
Fotos
Artigos
Contato
4 DE JULHO EC
AA ALTOS
EC FLAMENGO
PARNAHYBA SC
PIAUÍ EC
RIVER AC


ACADÊMICOS

JOMALI LIMA MAGALHÃES. Presidente e Fundador da APIBOL 

CADEIRA nº 01 - Patrono: indefinido

Nasceu em Teresina no dia 22 de Julho de 1970. Filho de José Magalhães da Costa e Júlia Lima Magalhães, tendo um único irmão – Joseli Lima Magalhães. Casado com Aniellle Cristine Furtado Lima Magalhães, pai de José Magalhães da Costa Neto. Licenciado em Geografia pela UFPI, Bacharel em Direito pela FAETE, Especialista em Gestão da Educação pela European University da Suíça, Docência do Ensino Superior pela UCAM-RJ e Geografia e Ensino pela UESPI. Microempresário, Agropecuarista, Professor de Direito em Faculdade Particular e de Geografia em Colégio Particular em turmas preparatórias para o ENEM.

Autor dos livros Futebol no Século XX e Vocabulário Geográfico. Recentemente, coordenou com seu irmão a publicação do livro Histórias com Pé e Cabeça de seu pai. Foi Relações Públicas, Vice Presidente, Diretor de Marketing, Patrimonial e de Futebol do Esporte Clube Flamengo. Criou o Manual de Identidade Visual e o primeiro portal do Flamengo-PI. Coordenou a restauração de inúmeros troféus e fotos nos 60 anos do Clube, bem como restaurou novamente em 2015. Coordenou a regravação dos Hinos do Rubronegro Mafrense e Documentários em áudio e vídeo, com mais de duas décadas de pesquisas. 

JOSÉ NUNES NETO. Vice-Presidente e Fundador da APIBOL 

CADEIRA nº 02. Patrono: Afrânio Nunes

Nasceu em Teresina dia 6 de dezembro de 1950. Dirigente do River Atlético Clube desde 1972, ou seja, durante 40 anos, inclusive Presidente do clube tricolor no biênio 1982/1984. Autor de vários artigos versando sobre o futebol piauiense, predominando temas relacionados com o clube riverino. Autor da última reforma dos Estatutos da sociedade, em 2009. Liderou o lançamento do CD “River, com paixão”, em abril de 2010. Autor do Livro Fatos e Fotos de Um Campeão (2013) – história sobre a trajetória exitosa do River Atlético Clube de Teresina entre 1948/2012, ou seja, 64 anos.  Ex-Membro do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD). Secretário Geral do River Atlético Clube até 09.01.2012.
 
Procurador Federal (aposentado). Exerceu as funções de Diretor Legislativo da Assembleia Legislativa (ALEPI), Diretor Geral da ALEPI, Diretor Financeiro da CEPISA e de Secretário Estadual de Justiça/PI.

REINALDO BARROS TORRES. Secretário Geral e Fundador da APIBOL.

CADEIRA nº 03. Patrono: indefinido.

Nasceu na cidade de Barras, Estado do Piauí no dia 26 de outubro de 1964. É filho dos barrenses José Ribeiro Torres e Maria Inês da Cunha Barros Torres.

Escritor, Poeta, Cronista, Contista, Jornalista, Desportista. Titular da Cadeira 12 da Academia de Letras do Vale do Longá – ALVAL e da Cadeira 29 da Academia de Letras da Região de Sete Cidades.

Autor de “Madrigais” (1997) – Primeira Edição, e em 1999 – Segunda Edição; dos livros inéditos “A Família Barros da Cidade de Barras” e “Marathaoan, um Rio que corre em minhas veias”. Autor também de três peças teatrais: “Amor Fatal” (1979) – escrita em parceria com Osmália Pereira Lira e Antônio Carlos Ananias Costa, “Faces Paralelas” (1980) e “Mundo Avesso” (1980). Primeiro Lugar no Estado do Piauí na “Maratona Literária sobre a Proclamação da República” - (1983) e Segundo Lugar no Estado do Piauí na “Maratona Literária sobre a Vida e Obra de Olavo Bilac” – (1984), ambas organizadas pela Secretaria de Estado da Educação. Tem mais de 500 poemas inéditos. Assessor de Comunicação do Piauí Esporte Clube. Assessor de Comunicação da Associação Recreativa dos Funcionários da Eletrobras. Secretário-geral da Academia de Letras do Vale do Longá. Segundo Secretário da União Brasileira de Escritores – UBE-PI.

JOSÉ GONÇALVES GOMES NETO  - Tesoureiro e Fundador da APIBOL.

CADEIRA nº 04. Patrono: Salvador Soares  Gomes 

Natural: Teresina - Piauí

Data de Nascimento: 17.01.1958

Graduação: Licenciatura Plena em Educação Física - Universidade de Fortaleza - Ceará.

Especialização: Treinamento e Administração Esportiva.

Co-autor do Manual para Professores de Educação Física do Estado do Piaui - SEDUC.

Principais Atividades Profissionais: 

Diretor do Colégio Capistrano de Abreu/Fortaleza - Ceará. Técnico de Voleibol da Seleção Cearense Universitária. Fundador da Federação Piauiense de Voleibol. Técnico da Seleção Piauiense de Voleibol Campeã Brasileira da 3ª Divisão Juvenil Masculino. Secretário da Secretária Municipal de Esporte e Lazer - Semel - PMT. Coordenador de Educação Física dos Colégios Cursão e Sinopse. Coluna Esportiva no Jornal Correio do Piauí. Presidente da Fundação de Esportes do Estado do Piauí. Diretor da TV Assembleia do Piauí. Diretor do Futebol do River atlético Clube e do Esporte Clube Flamengo. Diretor de Futebol da Federação Piauiense de Futebol. Apresentador  de programas esportivos - TV Antares, TV Antena 10 - TV Meio Norte, TV Assembelia. Rádios: Poty, Clube, Antares, Difusora e Utopia FM. 

CARLOS SAID. 

CADEIRA nº 05. Patrono: indefinido

Carlos Said nasceu em Teresina dia 14 de janeiro de 1931. Formado em Direito, Filosofia, Geografia e História. Radialista e Jornalista, além de Professor Universitário por vários anos. Foi um dos fundadores do River Atlético Clube em 1946, time pelo qual também foi goleiro, sendo campeão piauiense nos anos de 1952/53/54 e também foi o pioneiro da imprensa esportiva do Piauí. Atualmente é Advogado e jornalista esportivo da Rádio Pioneira AM e da TV Cidade VerdeNo dia 2 de fevereiro de 2011 foi lançado o livro Como Era Bom aos Domingos, de Gustavo Said, filho de Carlos Said. O livro conta parte da trajetória do "Magro-de-Aço" em sua vida como educador, literato, esportista e pai de família, além de exemplos nessas suas várias atividades. Ao longo dos anos Carlos Said recebeu várias homenagens, entre as quais se destaca a do Tribunal de Justiça Desportiva do Piauí e o Troféu Carlos Said, evento tradicional criado em 1985, que premia os melhores atletas do ano na capital piauiense.

SEVERINO FILHO.

CADEIRA nº 06. Patrono: Rui Lima.

Severino Gomes de Oliveira Filho, o Buim, piauiense de Teresina, nasceu a 21/02/1961. Casado com Marlene Oliveira, é pai de três filhos (Alexandre, Maurício e Ricardo). Atua na crônica esportiva desde 1977, tendo exercido as mais diversas funções, tanto como jornalista, quanto como radialista. Historiador das coisas do futebol, cultiva um vasto acervo desde os 10 anos de idade. Autor dos livros Curiosidades e Recordes do Futebol Brasileiro (1990), Fried versus Pelé (2000, em parceria com Orlando Duarte), Rivengo, o Clássico do Século (2001), Almanaque do Futebol Piauiense (2003), Piauí: 100 anos de Futebol (2005) e Memória do Futebol Piauiense (Coleção recente já com duas edições). Já foi distinguido com o Prêmio Abril de Jornalista (Editora Abril), Prêmio Carlos Castelo Branco (Governo do Estado do Piauí) e Concurso Paulo de Tarso Moraes (Prefeitura de Teresina). Exerce as funções de editor de esportes da Revista Cidade Verde, mantém o blog Site do Buim e ainda produz/apresenta o programa Almanaque, pela Rádio Pioneira de Teresina, além de atuar como Diretor-Assistente do Fórum da Fazenda Pública da comarca de Teresina.

DEUSDETE NUNES.

CADEIRA nº 07. Patrono: indefinido

Deusdeth Nunes dos Santos, Garrinha. Nasceu em Aracati-CE dia 24 de fevereiro de 1938, piauiense por adoção. Pai de 4 filhos. Tarado por futebol, onde foi atleta, dirigente, cronista e historiador.  Humorista com atuações em palco e TVs piauienses. Autor de 12 livros sobre futebol e costumes piauienses. Viúvo duas vezes, sendo “bi-uvo”. Advogado e político. Vereador por dois mandatos. Publicou: "Um Prego na Chuteira I", "Um Prego na Chuteira II", "Um Prego na Chuteira III", Teresina Cheia de Graça, Rádio Calçada, As Tiradas de Mão Santa, As Histórias do Professor, A Saideira (De bar em bar), O Piauhylário, Foi Assim que Napoleão perdeu a guerra e As caras de Teresina. Também autor cordelista, destacando-se "A cobra do Motel", "A morte da doméstica", "Mutirão dos enganados" e "A vida e morte de Zé Galinha". Comentarista esportivo de rádio. Colunista desde 1964, em O Dia, Teresina (PI), com Um Prego na Chuteira.

JOÃO EUDES.

CADEIRA nº 08. Patrono: indefinido

João Eudes Ramos, o Bolinha. O jornalista esportivo nasceu em 15 de abril de 1948, na cidade de Acaraú no Ceará e se tornou piauiense de coração há quase 41 anos, graças ao jornalismo. Casado, João Eudes tem cinco filhos e três netos. Ele nunca pensou em fazer outra coisa na vida, já que o jornalismo era uma vocação de infância. Bolinha começou na profissão aos 17 anos, no rádio, e aos 19 já assinou o seu primeiro contrato profissional, ainda no Ceará. Em outubro de 1973, ele se mudou para o Piauí ao receber um convite para trabalhar na Rede Clube. O profissional, que é um dos mais antigos da casa, estava presente na primeira transmissão de TV da Clube. João Eudes é um das figuras ainda em atuação mais tradicionais do jornalismo piauiense. Sua trajetória profissional está bem atrelada à própria história do jornalismo no estado nas ultimas décadas. Ele é um dos seis alunos formados na primeira turma de jornalismo do estado, na Universidade Federal do Piauí, em 1989.  

PEDRO ALCÂNTARA.

CADEIRA nº 09. Patrono: indefinido

Pedro Alcântara Carvalho do Nascimento, aqui nascido em 21 de abril de 1952, criado e ainda residente na Capelinha de Palha. Casado com Alaídes Paz Carvalho do Nascimento, pai de Maria de Lourdes, Daniel Neto e Luciano Alcântara. Trabalhou na Rádio Difusoura. No final de 2003, foi chamado para assumir programa jornalístico, na TV Antena 10, em substituição a Cristiane Sekef. É Advogado (OAB 1847-88), com atuação no Tribunal do Júri, Justiça Desportiva, Trabalhista, Eleitoral, Fórum Cível, Juizado de Pequenas Causas e Justiça Federal. Exerceu dois mandatos de vereador em Teresina, de 1989 a 1992 e 1993 a 1996. É professor aposentado da rede estadual de ensino e da Universidade Federal do Piauí. Foi Diretor da Fundação Rádio e TV Educativa do Piauí, em 1994; Secretário de Estado da Comunicação, em 2001/2002; Presidente da Fundação Rádio TV Educativa, 2001. No seu tempo de universitário, foi eleito 4 vezes (de 1976 a 1979), Presidente do Diretório Estudantil do Centro de Ciências da Educação da Universidade Federal do Piauí. Presidente do Clube do Repórter do Piauí. Foi Presidente da Associação dos Cronistas Esportivos do Piauí (APCDEP) por três vezes, duas eleito e a terceira nomeado pela Justiça como Interventor. Vice-presidente Jurídico do Ríver Atlético Clube.Condecorado com várias honrarias, entre elas, a do Mérito Renascença, no grau de Comendador; Conselheiro Saraiva, no grau de Oficial; Colar do Mérito Judiciário e Mérito Legislativo da Câmara Municipal e da Assembleia Legislativa; diplomas de “Amigo do Exército” e “Amigo da Polícia Militar do Piauí”. É autor dos seguintes livros: Eleições 88; Eleições 92; e Regras de Futebol. Atua como colunista no Diário do Povo e do Portal 180 Graus. É graduado em Pedagogia, Jornalismo e Direito pela Universidade Federal do Piauí; pós-graduado em Direito Administrativo pela Universidade Estadual do Piauí e pós-graduado em Psicopedagogia pela Universidade Federal do Piauí. 

HERCULANO MORAES.

CADEIRA nº 10. Patrono: indefinido

Herculano Moraes da Silva Filho nasceu no dia dois de maio de 1945, no município em São Raimundo Nonato, no sul do Piauí. É casado com a professora Maria NilzaO acadêmico, escritor, poeta, jornalista, analista literário, romancista e historiógrafo é um dos pioneiros no processo de interiorização e democratização da cultura. Torcedor do River, do qual já foi Presidente na década de 1980. Filho de Herculano Moraes da Silva e Olinda Moraes da Silva. Idealizou, fundou e instalou a Academia de Letras do Vale do Longá (Alval) e a Academia de Ciências do Piauí. Foi diretor do Teatro 4 de Setembro e da Casa Anísio Brito. O filho de São Raimundo Nonato foi também Chefe de Gabinete do Secretário da Educação. No Governo Lucídio Portella foi nomeado secretário de Estado da Comunicação. O autor de Visão Histórica da Nova Litaratura Piauiense e um dos fundadores da da Academia de Letras do Médio Parnaíba é atualmente uma das mais legítimas expressão da cultura do Piauí. Membro da Associação Nacional de Escritores (DF), da UBE/PI. Pertence à Academia Piauiense de Letras (APL). Publicou "Murmúrios ao Vento" (1965); "Vozes Sem Eco" (1967); "Meus Poemas Teus" (1969); "Território Bendito" (1973); "Cantigas do Amor Fundamental" ( 1974); "Seca, Enchente, Solidão" (1977); "Pregão" (1978); "Amor" (1987 e 1989); "Chão de Poetas" (1974); "A Nova Literatura Piauiense" (1976); "Visão Histórica da Literatura Piauiense", 3 edições (1976, 1982 e 1991); "Fronteiras da Liberdade" (1981), romance; "Legendas" e outros. Foi incluído no livro A Poesia Piauiense no Século XX (1995), organizada por Assis Brasil. Presidiu a Academia de Letras do Vale do Longá. Sócio efetivo e perpétuo-fundador da Academia de Letras da Região de Sete Cidades (ALRESC).

ELMAR CARVALHO.

CADEIRA nº 11. Patrono: Indefinido

José Elmar de Mélo Carvalho nasceu em Campo Maior – PI, em 09/04/56. Juiz de Direito. Bacharel em Direito e em Administração de Empresas. Presidiu o Diretório Acadêmico “3 de Março”, a União Brasileira de Escritores do Piauí e o Conselho Editorial da Fundação Cultural Monsenhor Chaves. Foi membro do Conselho Editorial da Universidade Federal do Piauí. Publicou os livros “Rosa dos ventos gerais”, “Lira dos Cinqüentanos”, “Cromos de Campo Maior”, “Noturno de Oeiras e outras evocações”, “Bernardo de Carvalho – o Fundador de Bitorocara”, “Amar Amarante” e “Sete Cidades – roteiro de um passeio poético e sentimental”. Coautor do livro “A poesia parnaibana”. Participou de várias antologias, entre as quais “Baião de todos”, “Antologia dos Poetas Piauienses” e “A poesia piauiense no século XX”, organizadas por Cineas Santos, Wilson Carvalho Gonçalves e Assis Brasil, respectivamente. Citado em diversos livros e dicionários biográficos. Colaborador de vários jornais e revistas. Membro de diversas entidades literárias e culturais, entre as quais a Academia Piauiense de Letras e Academia Campomaiorense de Artes e Letras. Detentor de várias honrarias e distinções culturais. Cidadão honorário de várias cidades. Seu livro “Rosa dos ventos gerais” recebeu o prêmio Ribeiro Couto (poesia reunida), conferido pela União Brasileira de Escritores – Rio de Janeiro. Na área do futebol, publicou o livro O Pé e a Bola e vários artigos. É citado em alguns livros sobre esse esporte, entre os quais Parnaíba: Terra do Futebol, de João Batista Oliveira. Um dos colaboradores do livro Pedro Alelaf – Lição de Vida, de Rubem da Páscoa Freitas.

ALFREDO ALBERTO LEAL NUNES

CADEIRA nº 12 - Patrono: Indefinido

Nasceu no dia 15 de Maio de 1926 o filho de Gonçalo Teixeira Nunes e Maria de Lourdes Leal Nunes. Formou-se em Odontologia pela Universidade Federal do Ceará e em Direito pela Universidade Federal do Piauí, atuando como advogado e também na qualidade de promotor de justiça em Teresina. Na capital piauiense foi delegado de Trânsito e Costumes.

Sua primeira incursão política foi como Vereador em sua cidade natal em 1948, sendo a última também em Regeneração com a eleição para Prefeito no ano de 2000. Ganhou notoriedade como Diretor do Instituto Estadual de Criminalística no Governo Pedro Freitas (1951-1955). Diretor da Associação Comercial Piauiense; Presidiu o Piauí Esporte Clube e a Federação Piauiense de Futebol, entre 1960/1962 e 1963/1966 respectivamente. Foi na Gestão de Ricardo Teixeira alçado Vice Presidente da Confederação Brasileira de Futebol.

Eleito Deputado Estadual em 1958, 1962 e 1966, migrou para a ARENA e, quando já estava filiado ao PDS, foi Secretário Municipal de Serviços Urbanos entre 1982/1983, na passagem de Jesus Tajra pela Prefeitura de Teresina.

Teria o mandato de Deputado cassado pelo comando da ditadura militar no final da última passagem pela Assembleia.

Procurador-Geral do Estado no primeiro Governo Hugo Napoleão, retornou à Presidência da Federação de Futebol do Piauí entre 1985/1989. Durante a passagem de Napoleão como Ministro da Educação no Governo Sarney foi Secretário Especial de Educação Física e Desportos.

CELSO CARVALHO LIMA

CADEIRA nº 13. Patrono: Indefinido

Nasceu em Parnarama, Estado do Maranhão, no dia do Piauí, no ano de 1950. Graduado em Geografia pela Universidade Federal do Piauí e com Especialização em RH, Marketing e Vendas pela CESVALE. Foi Professor de Educação Física no Colégio das Irmãs de Teresina, bem como Coordenador de Esportes do SESC, ambos na década de 1970. Exerceu o Cargo de Analista de Desenvolvimento de Pessoal da CEPISA de 1975 a 2007. Diretor da Federação Piauiense de Futebol de 1975 a 1990. Foi Comentarista Esportivo das Rádios Difusoura, Mirante e Tropical, além da TV Piauí, entre 1992 e 2012. Publicou o livro Pedro Alelaf: Lição de Vida, em 2001.




APOIO




TODOS OS DIREITOS RESERVADOS A APIBOL